Arquivos da categoria: NOTÍCIAS

A CRIAÇÃO DOS SERES HUMANOS NA TERRA

Desceram então ao plano terrestre os Grandes Benfeitores da Humanidade: ODUDUWÁ, IFÁ e OBATALÁ. O primeiro pegou uma parte de uma legião de espíritos que se encontravam por perto e os instruiu na tarefa que tinha pela frente.

IFÁ modelou um corpo com muito pouca densidade, semelhante ao físico que teria a nova espécie em fase de criação. Cada espírito instruído por ODUDUWÁ ocupou um dos corpos astrais elaborados por IFÁ e em poder dessa morada semi-material, começaram a vagar sobre à Terra.

O SENTIDO DO PUDOR E A INTELIGÊNCIA

A medida que os primitivos se uniam em grupos para se tornarem mais fortes, o encontro de núcleos diferentes era um acontecimento notável, pois isso lhes ampliava as possibilidades de se estabilizarem.

O desejo do homem pela mulher o levou a ser exclusivo com sua parceira, para isso sentia a necessidade da solidão, pois diferente do restante dos animais, executavam seu enlace a vista da manada.

Então surgiu entre os dois um sentimento de vergonha que os fez considerar necessário ocultar suas partes pudendas do resto do coletivo, para que não se exacerbasse o desejo dos mais jovens, pois isto ocasionaria problemas e desordens no grupo.

O HOJE

Somos resultado da diáspora, somos filhos do encontro dos escravos.

Somos netos da miscigenação dos povos africanos em nossas terras, que trouxeram no seu sangue o DNA de várias etnias, cada uma delas regida por uma ou mais divindades YORUBÁ.

Somos tataranetos do coletivo, em meu sangue não corre somente o DNA dos ancestrais de OYÓ, governado pela divindade XANGÔ que rege meu destino, pois deixamos de ser descendentes de um e passamos a ser herdeiros de muitos.

IROKO

ORIXÁ relacionado aos desejos humanos, sejam bons ou ruins. ORIXÁ do caminhante, se consagra através de OBATALÁ.

IROKO é o espírito que vive na raiz para uns e nas folhagens para outros, da CEIBA SAGRADA (ARABÁ).

Todos os ORIXÁS veneram IROKO. É conhecido também por outros nomes como ARABÁ e IROKÉ.

A FORMAÇÃO DA TERRA

Em grupos de sete vieram ao Planeta as DEIDADES MAIORES, sete vibrações – as fundamentais – em cada grupo, com seus séquitos de ENTIDADES MENORES; tinham o propósito de criar a natureza mineral primitiva.

Veio então OLOKUN e formou as fendas profundas que deram lugar aos oceanos, e ORISHAOKO levantou as terras do fundo dos mares.

XANGÔ criou a atmosfera e as nuvens com suas cargas elétricas.

OGUN elaborou os minerais e trabalhou as montanhas.

DADÁ IBANIN: A CORA DE XANGÔ

Também conhecida como OBAÑEÑE ou DADÁ BALDONE. É o ORIXÁ dos recém-nascidos. Também é considerada o ORIXÁ dos vegetais. Quando foi destinado a OBATALÁ povoar o mundo, este entregou a DADÁ a criação dos reinos (vegetal, mineral e animal). Foi quem criou XANGÔ. Não é um ORIXÁ que incorpora, por isso não se consagra em ninguém. Normalmente é representada por uma abóbora forrada de caracóis (búzios). Seus fios de conta são duas miçangas vermelhas e duas brancas, sucessivamente.

ORISHAOKO CULTIVA A VIDA

É o ORIXÁ que nos ensina como cultivar nossas vidas e a terra. É aquele que primeiro cultivou uma plantação. É o ORIXÁ do campo, cultivando sua terra e recolhendo suas colheitas para alimentar sua família.

Quando vemos ORISHAOKO na natureza vemos sua energia cultivando. Os animais são cultivadores também. Os dejetos que os animais excretam, fertilizam a terra e a vegetação que está crescendo. Nós vemos ORISHAOKO como a abelha trabalhadora que está levando o pólen e a seiva de um lugar a outro. Levando algumas coisas que estão perdidas de um lugar distante a outro onde é necessário. Coisas que são escassas são feitas abundantemente.

OLÓFIN

OLÓFIN e o nada. Ele em sua altíssima vibração. Não existiam nem tempo nem espaço. Foi então que ele decidiu fazer o tempo andar. Originou uma série de vibrações para tecer o Universo. OLÓFIN soprou fortemente e das partículas de sua respiração se formaram as estrelas e os sistemas planetários. Emitiu finos assovios dos quais surgiram as distintas Deidades.

YEWÁ DA ÁFRICA AO OCIDENTE

 

YEWÁ é um ORIXÁ dona da transição entre a matéria e o espírito e representa esse momento.

É amplamente ligada a morte e guia todos os EGUNS para essa transição. Seu culto provém de DAHOMEY e viveu em EGBADO.

Seu nome provém do YORÙBÁ YÈWÁ (YEYÉ: Mãe – AWÁ: Nossa).

INLÉ E ABATA ORIXÁS DA ESTABILIDADE DA FAMÍLIA

História

Estes ORIXÁS nasceram em TAKUÁ, antigo Império OYÓ.

ABATA é mais velha que INLÉ, pois quando este nasceu ela era jovem. A terra onde nasceram se chamava EGUNGUN porque estava rodeada de pântanos e nunca se sabia nada do que nela penetravam.

Esta terra era protegida por uma grande serpente azul com muitas pintas douradas e negras e dois chifres chamada ADAMO e tinha pacto com OXUMARÉ para cuidar de INLÉ e ABATA e toda sua família.