Arquivos da categoria: APETEBI NI ORUNMILÁ

APETEBI NI ORUNMILÁ

305906_266730630115891_451563518_n

A presença da mulher dentro do Culto de Ifá é sempre frisado como um papel importantíssimo. Para quem está dentro desse processo religioso e o pratica de acordo com a herança afro-cubana, a máxima consagração a que chega a mulher é ser APETEBI NI ORUNMILÁ.

Esta é uma hierarquia que vem dada a mulher, uma vez que recebe o IKOFÁ de ORUNMILÁ das mãos de um BABALAWÓ. Os Babalawós podem entregar a uma mulher a representação de Orunmilá através da cerimônia de Ikofá. O nascimento desse poder se encontra estabelecido no Odú de Ifá ODI MEJI. A partir do momento da entrega do Ikofá, a mulher passa a ser “Esposa” de Orunmilá, ou seja, Apetebi Ni Orunmilá.

O término Apetebi, não possui uma tradução exata, mas historicamente se chamou Apetebi a mulher doente a qual foi curada por Orunmilá e com a qual teve um filho (Obara Ogunda), devido a esta história, sempre se tem traduzido como a Sacerdotisa de Orunmilá. Outros o traduzem como Esposa de Orunmilá. A classe de Apetebi lhe dará uma série de responsabilidades que lhe permitirão ajudar o Babalawó em tudo o que as normas assim permitirem. Diferente do que muitos pensam ou creem, a Apetebi não é unicamente uma mulher que seja esposa de Babalawó e sim TODAS AS MULHERES QUE RECEBEM IKOFÁ DE ORUNMILÁ.