Arquivos mensais: março 2013

OBATALÁ AYAGUNA É CRIADOR DE PROBLEMAS

Ayágguna é criador de problemas

Pataki

Diz a história que na repartição que Olófin fez na Terra, quando distribuiu os cargos entre seus filhos, para Ayágguna foi dito ser o criador de problemas. Onde ele chegava, governada com armas e assim o fez em uma grande parte da África. Era de espirito revolucionário e guerreava com todos os seus vizinhos. Um dia Olófin o chamou e lhe perguntou por que motivo governava dessa forma tão truculenta.

OBATALÁ AYAGUNA OU AJAGUNÃ

OBATALÁ AYAGUNA OU AJAGUNA é guerreiro e é o mais jovem dos caminhos de OBATALÁ. É intrépido, valente, temerário e guerreiro como SHANGÓ. É chamado também de AFAJUÚN e MALÉ na terra ARARÁ (DJEDJE) e também é conhecido como ARUWÓ.

Por que Shangó se fundamenta com Oggué?

Por que Shangó tem que fundamentar com Oggué:
Oggué era um homem que tinha fama de médico, o melhor curandeiro. Havia um matrimônio cuja mulher estava enferma e Obbatallá mandou que Oggué curasse a mulher.

Oggué e Oké

OGGUÉ

Quem é Oggué:

Oggué é o Orishá dos animais cornudos (chifrudos) e dos rebanhos. É o terceiro da trilogia com Oké e Orishá Oko. Vive dentro de Shangó ou ao lado em um receptáculo plano pintado de vermelho e branco.

OLOKUN

Quem é OLOKUN?

OLOKUN é um Orixá que é fundamento de IFÁ e de OSHA e que está relacionado com os segredos da vida e da morte. OLOKUN é pai e mãe de YEMANJÁ. OLOKUN proporciona saúde, prosperidade e evolução material. É o ORIXÁ do oceano, representa o mar em seu estado mais aterrorizante. É andrógino, metade peixe e metade homem, de caráter compulsivo, misterioso e violento. Tem a capacidade de transformar-se. É temível quando se enfurece. Na natureza é simbolizado pelas profundidades do mar e é o verdadeiro dono das profundidades deste, onde ninguém pode chegar. Representa os segredos do fundo do mar, já que ninguém sabe o que há no fundo do mar, só OLOKUN e OLÓFIN (DEUS).

Quem é Oshumaré?

Oshumaré

Descrição:

Oshumaré é o Orishá da serpente e do arco-íris. Representa a união entre o céu e a Terra, o equilíbrio entre os Orishás e os Homens.

OBATALÁ OSHAGRIÑAN

Obbatalá Oshagriñán

OSHAGRIÑAN ou OSHA GRIÑANA é considerado um dos OBATALÁS mais velhos. É o mensageiro de OLÓFIN (DEUS) e se encontra subindo montanhas. É muito pacífico e tem algumas tremedeiras de frio e de velhice.

É da terra IYESA. Pertence-lhe a coruja, a qual simboliza a experiência, a discrição e a sabedoria. É ele que vem quando ninguém pode vir. A ele lhe pertencem os IBEJIS e tem o caminho para a casa de OLÓFIN. Esconde-se do ar e anda com apoio, mas quando está zangado larga os apoios e pega seu facão.

OSHAGRIÑÁN é considerado filho de ODUDUWÁ, rei de EGIGBO e OGBOMOSHE. É conhecido como MAKENU na terra ARARÁ (Djedje).

Entre suas ferramentas, 3 penas de loro (papagaio) dentro de sua sopeira e 8 fora, um bastão forrado com contas brancas, uma espada, um facão, um idé torcido, um canino de leão, marfim, nácar e corais.

O REAL PAPEL DE IFÁ NA SOCIEDADE E NA RELIGIÃO

Hoje muitos se perdem de seu destino por se deixar guiar pelo caminho do próximo. Resultado: Fracassos e frustrações. Já que entendemos que só através de nosso real propósito alcançaremos a grande realização. Caso um filho caminhe fora de seu real destino, ele se desvia de tudo que é benéfico em sua vida, vivendo uma vida de peregrinação dia após dia até se encontrar, em muitos casos, perdendo a vida e a saúde prematuramente.
Quero apontar para situações agravantes que nos assolam no momento e pedir ao querido leitor que reflitam em minhas palavras; perdemos tanto tempo em tentar justificar aquilo que já não temos onde buscar as justificativas. Vivemos no auge do século XXI e percebemos então que em uma velocidade crítica, os verdadeiros e reais valores da vida vem se perdendo e junto com eles o rumo da humanidade, que gradativamente se afasta de sua verdadeira essência.

Visão Crítica da Situação das Religiões Afro no Brasil por Oluwó Siwajú Evandro Otura Airá

Acredito que o momento é critico, como também vejo uma crise que se agrava a cada ano. Se não atinarmos em nos unirmos dificilmente reverteremos este quadro. Estamos diante de uma situação progressiva e daqui alguns anos nossa religião pode estar a beira do fim.