Arquivos mensais: março 2014

OS OLHOS QUE TUDO VEEM. NASCE PÔR AS PENAS NOS SACRIFÍCIOS

ceu-azul

Uma vez Shangó fez um pedido a seu filho que consistia em lhe oferecer um carneiro em sacrifício. Este saiu em busca já que desejava a qualquer preço satisfazer o que se pai lhe havia pedido.

Ao final lhe ofereceu o que ele havia pedido. Porém Shangó seguia pedindo um Abo (carneiro) ao filho e devido a esta situação, decidiu ir à casa de Orunmilá para que este lhe orientasse.

NASCEU O TABULEIRO (OPON IFÁ) E O IROFÁ

2de76_5592

No princípio da criação, ORUNMILÁ era amigo íntimo do Elefante e entrava com ele no monte e juntos faziam todo tipo de trabalho para buscar o sustento diário. Mas ORUNMILÁ não tinha a mesma força que o Elefante e não rendia como ele.

Eles trabalharam juntos pelo espaço de três anos e três meses consecutivos, mas quando terminaram, ORUNMILÁ tinha armazenado poucos ganhos o qual só deu para trocar por um traje branco. Contudo AYANAKU (O Elefante), diferente de ORUNMILÁ, havia armazenado muitas riquezas.

ORUNMILÁ RUMO A IFÉ


images

No começo do mundo, quando ORUNMILÁ baixou à Terra, veio com a missão de encontrar ILÉ IFÉ, para ensinar aos filhos daquela terra, que eram regidos por ODUDUWÁ, em todas as questões sobre como teriam que viver e sobre as leis de IFÁ, que OLÓFIN havia ditado para que fossem acatadas.

ORUNMILÁ descendeu em ONIKÁ (A beira do Mar), porque todos os caminhos sobre a Terra se encontravam em ONIKÁ ( A beira do Mar) e assim conduziam a terra sagrada preferida de OLÓFIN que era Ifé. No momento que ORUNMILÁ se pôs a caminhar pela beira do mar, mas pouco antes de seguir o caminho, Atefou seu IFÁ (se comunicou em IFÁ através dos ikins) saindo nesse momento o ODÚ BABA EJIOGBE onde lhe dizia que deveria realizar um sacrifício na areia do mar junto com seu sagrado IFÁ. Realizado o sacrificio, ORUNMILÁ seguiu em busca da cidade de Ifé.