CUBA SACRIFÍCIOS

Em Cuba a REGRA DE OSHA (Culto aos Orixás) é composta da junção de vários povos que cultuavam os ORIXÁS dentro do território YORUBÁ, como por exemplo, os EGBADOS, EGBÁS, IJESÁ, etc. Tais povos, mesmo pertencendo ao império OYÓ, cultuavam os ORIXÁS de forma distinta de OYÓ.

A forma de culto que prevaleceu em Cuba foi a de OYÓ, e por esse motivo montamos o que chamamos de trono para os ORIXÁS, pois acreditamos que quando nasce um ORIXÁ está nascendo um rei e esse conceito é de OYÓ.

Em Cuba BABALAWÓS não jogam BÚZIOS sendo esta uma proibição rigorosa, assim como é proibido os OLORIXÁS jogarem OPELÉ e IKINS.

Obs: Todos respeitam essas regras a mais de trezentos anos.

Um BABALAWÓ jamais pode iniciar uma pessoa para ORIXÁ, assim como um BABALORIXÁ ou YALORIXÁ jamais pode iniciar uma pessoa para IFÁ, embora ambos sacerdotes necessitem de IFÁ e de ORIXÁ. Em Cuba a Regra de IFÁ e de ORIXÁ são religiões distintas mesmo sendo de Origem YORUBÁ e caminharem paralelamente. Tais princípios e dogmas foram levados pelos próprios YORUBÁS da época e dados históricos e antropológicos provam o que digo.

Obs: Um sacerdote respeita o espaço do outro a mais de trezentos anos.

Os cubanos preservam até os dias de hoje de forma rigorosa as práticas religiosas que receberam de seus ancestrais YORURÁS, são ortodoxos ao ponto de discutirem há décadas de forma exaustiva, temas que estão longe de ser graves como essa afirmação absurda e irresponsável de que é possível uma iniciação de um YAWÓ sem sacrifícios, afirmando ainda que tal prática teria origem em Cuba.

Primeiro: A religião YORUBÁ em Cuba acredita que a espiritualidade de um determinado ORIXÁ é gerada na vida de um neófito através dos ritos com ervas e desperta e se movimenta através do sacrifício. É como se os ritos com ervas representassem uma criança sendo gerada ainda no ventre de sua mãe e o sacrifício o parto, o encontro com o mundo material, o abrir dos olhos, o primeiro suspiro, o nascimento propriamente dito.

Segundo: Um futuro YAWÓ, dentro da REGRA DE OSHA, necessita no mínimo de seis animais de quatro patas para se iniciar, e como todos os YAWÓS devem entrar no IGBODU com ELEGBARA, OXUM, XANGÔ, OYÁ, OBATALÁ e YEMANJÁ, estou supondo que um desses acima seja o ORIXÁ do YAWÓ.
Obs: Para cada ORIXÁ recebido falar no dia do ITÁ é necessário que tenha sido feito o sacrifício de um animal de quatro patas, do contrário não tem ITÁ. Como não fazer ITÁ é algo fora de cogitação, os sacrifícios pertinentes devem ser realizados.

Portanto, é impossível existir em Cuba uma religião de origem YORUBÁ que inicie qualquer pessoa em ORIXÁ ou IFÁ em que não seja necessário o sacrifício de animais, pois simplesmente, não há nascimento sem sacrifício, não há ITÁ (meio e fim) sem sacrifícios.

O culto de juramento (pacto) com a divindade OSSAIN em Cuba foi preservado pelos BABALAWÓS e por este motivo só os BABALAWÓS podem jurar outras pessoas nessa divindade. Isso não tem nada a ver com o OMIERÓ (preparo de ervas de cada ORIXÁ) que é o princípio vital do nascimento de um ORIXÁ.

Loucos e charlatões existem de todas as nacionalidades e em todas as religiões.

 

Oluwó Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.