OSSAIN

OSSAIN é um ORIXÁ regido pela natureza e é em si a própria natureza. No ser humano está na parte esquerda do corpo. Com os conhecimentos de OSSAIN se salva a vida e se fortalece para a guerra, afasta-se a morte. É um médico, dono e sábio de todos os segredos da natureza. É conhecedor de todas as plantas, animais e minerais. É um ORIXÁ adivinho. É o próprio feitiço.

Todos os ORIXÁS têm um OSSAIN, como também o tem os Odús do oráculo de IFÁ e as circunstâncias da vida, pois OSSAIN é um poder. OSSAIN é necessário em qualquer consagração, já que sempre se usam ervas e plantas. Seus filhos são chamados ADAJUNSHÉ.

OSSAIN é o dono absoluto das montanhas e da vegetação que ali vive, caçador celibatário e grande conhecedor das propriedades mágicas das ervas, por isso, é a energia de toda a farmacopeia. Se refugia no meio da mata, onde vive só.
Tem um só olho, uma só perna, um só braço, uma orelha grande e uma pequena que é pela qual escuta. Seu culto provém da terra TAKUÁ, YESÁ e OYÓ.

Seu culto é privativo dos BABALAWÓS e os OLOSHAS (OMO ORIXÁS) o recebem, mas não o entregam. Quem se jura em OSSAIN se denomina OSSAINHISTAS e estes devem conhecer todas as propriedades dos EWÉS (ervas) e os cantos sagrados utilizados para fazer os OMIERÓS (banhos) no KARIOSHA (feitura de santo). É uma das energias mais importantes do Culto aos ORIXÁS, pois está presente em todas as consagrações de ORIXÁS, Ebós, comidas de ORIXÁS ou simplesmente ao lavar fios de conta.

Os OSSAINHISTAS podem ser de ambos os sexos, mas as mulheres devem esperar até a menopausa para receber e participar de algumas de suas cerimônias. É ele que custodia os tambores Batá. OSSAIN é o que consegue o ASHÉ para ORUNMILÁ. Seu nome completo é OSSAIN AGUENEGUI AGUADO e KURÍ KURÍ, ainda que também o conhecem como OSSAIN AGUCHUIYÉ. Grande amigo de OGUN e de OXÓSSI,  pela relação deles com a floresta. Sua cor é verde. Se saúda ASHÉ OSSAIN, MOWAYÉ!

PATAKI de OSSAIN:

OYÁ, que tinha conhecimentos do mágico que falava e previa o futuro, maquinava um plano para arrebatar-se de OSSAIN com ajuda de XANGÔ, quem vigiava a entrada da mata, enquanto OYÁ procedia o furto. OYÁ o embriagou dando-lhe aguardente, do qual ele gostava muito. Tanto foi o que ele bebeu que caiu em um manto de ervas à sombra de IROKO, a Ceiba Sagrada. Enquanto OYÁ procurava a magia, OSSAIN se despertava e ao ver a linda mulher, não resistiu e a agarrou. OYÁ começou a gritar, pedindo ajuda a XANGÔ. Ao ouvir a voz de sua mulher, XANGÔ lançou um raio a OSSAIN que lhe arrancou um braço; este correu a uma cabana em que guardava todos os seus utensílios de lavragem, mas XANGÔ lhe atirou outro raio que lhe alcançou a perna. E nesse momento em que ia esconder-se, OGUN, que passava por ali buscando o seu amigo OSSAIN, vê a situação e constrói um tipo de para-raio no chão para livrá-lo das pedras de raio que XANGÔ lançava contra ele, para proteger OSSAIN, que em um momento de descuido e pela ira de XANGÔ, perde um olho. Assim, escondendo-se em seu mundo da natureza, OSSAIN consegue proteger sua magia; Ele e OGUN, que tanto o acompanha em seus momentos difíceis e que além disso gosta das matas e são inseparáveis amigos, os dois em perfeita harmonia, cuidam das propriedades maravilhosas das ervas, árvores e de todo verde que vive da sabedoria da terra deste planeta.

Outra versão da aparência de OSSAIN.

OSSAIN declarou guerra a ORUNMILÁ e começou a lançar-lhe feitiços. ORUNMILÁ, não conhecendo quem lhe estava mandando bruxarias, consultou XANGÔ quem lhe ensinou um encantamento com doze pedaços de algodão em chamas e doze pedras de raio.

Quando ORUNMILÁ completou e começou a invocação ascendendo os algodões, um poderoso raio caiu sobre a mata onde se encontrava OSSAIN, pondo esta em fogo.  OSSAIN tentou salvar-se, mas perdeu um braço, uma perna e um olho.

Iboru Iboya Ibosheshe!

Ifá Ni L’Órun
Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.