INLÉ E SUAS CARACTERÍSTICAS

 

inleajaja

INLÉ não é OXÓSSI. INLÉ nasce em OKANA SODE e OXÓSSI em OSHE POLOKANA, ou seja, em momentos totalmente diferentes. INLÉ simboliza as coisas móveis, variáveis, a hospitalidade, os enganos, os hospitais, os cárceres, as casas de repouso, os asilos, as instituições de caridade, ambulatórios, as sociedades protetoras dos animais, as traições, as dependências hospitalares, o escapismo, os trabalhos isolados, as ciências ocultas, a espionagem, a camuflagem, o martírio, o sacrifício, o serviço e o inconsciente coletivo.

Os filhos de INLÉ são intuitivos, compassivos, místicos, humildes, adaptáveis, sensitivos, inspiradores, sacrificados, receptivos, imaginativos, generosos, sentimentais, boêmios, caridosos, amáveis, idealistas, bem intencionados, visionários, tradicionalistas e piedosos.

Desatentos, confusos, pessimistas, vítimas, indolentes, inseguros, tímidos, desordenados, frívolos, indecisos, impressionáveis, simuladores, dependentes, hipersensíveis.

INLÉ/ABATA é um ORIXÁ MAIOR. Médico dos ORIXÁS. Patrono dos BABALAWÓS, dos médicos, dos peixes e dono do rio. É a divindade da economia extrativa ou especificamente da pesca e da colheita pré-agrícola. É médico e pescador. É andrógeno e muito belo. É a personificação da terra, vive na terra e na água. Sua cor é a combinação do azul e verde e também o coral, ou seja, não é um ORIXÁ FUN FUN. Seus dias são as sextas-feiras e todo dia 24 (principalmente dia 24 de Outubro, pois é o seu dia oficial). Seus caracóis (búzios) não vão ao chão, pois INLÉ não fala por sua própria boca, somente através dos caracóis de YEMANJÁ ou em IFÁ, através dos IKINS.

O seu receptáculo é uma sopeira cuja tampa consiste em um prato sobre o qual se põe a sua ferramenta. Como complemento leva outra sopeira pequena a qual vai o segredo de ABATA (ORIXÁ inseparável de INLÉ, sua esposa e irmã de OXÓSSI).

As ferramentas são um pedestal em forma de cruz, do qual pendem de ambos os lados, arpões e peixes. Ao longo do eixo vertical no centro da ferramenta, vão enroscados duas serpentes em prata ou metal branco, dois aros, anzóis, rede e 18 caracóis. O segredo são os caracóis, conchas e um arame em forma de 21 Serpentes. Os colares (elekes, fios de conta) são de cor verde escuro, azul prusia e contas de coral. Veste-se de azul, verde, amarelo e se adorna com caracóis (búzios).

As comidas são vinho doce, peixe pargo, alface e agrião, batata, laranjas da China, bolas de abóbora, Inhame, ekó, goiabas, óleo de amêndoas. Depois de temperado o peixe, se cobre com biscoito de água e sal moídos, farinha de milho e molho de amêndoa.

As aflições que ele protege são todas as que o ser humano pode adquirir.

Maferefun INLÉ ABATA todos os dias!

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.