OS OLHOS QUE TUDO VEEM. NASCE PÔR AS PENAS NOS SACRIFÍCIOS

ceu-azul

Uma vez XANGÔ fez um pedido a seu filho que consistia em lhe oferecer um ABO (carneiro) em sacrifício. Este saiu em busca já que desejava a qualquer preço satisfazer o que seu pai havia pedido.

Ao final deu o que ele havia pedido. Porém XANGÔ seguia pedindo um ABO (carneiro) ao filho e devido a esta situação, este decidiu ir à casa de ORUNMILÁ para que este o orientasse.

ORUNMILÁ recorre a IFÁ, onde ficou constatado que o mesmo havia sacrificado o carneiro e viu onde XANGÔ lhe dizia que ele lhe havia oferecido o carneiro, mas não havia colocado o ori e como todos os ejés são iguais, ele não sabia se ele havia lhe dado um carneiro ou outro animal.

XANGÔ e os demais ORIXÁS ao verem as coisas que se faziam na Terra, pediram que se colocassem as penas e o ori para dessa forma saber de que estavam UNJEM (comendo) e o que se dava a cada ORIXÁ.

Por isso, aqui nasce o OLHO DA PROVIDÊNCIA que vê a todos desde o céu, mas ninguém pode ver o que há lá.

Nota: Nasce o porquê se põe as penas e o ori para identificar qual sacrifício esta sendo realizado diante de OLÓFIN e de todos os ORIXÁS.

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.