A BONDADE DE YEMANJÁ

yemanya 6

OLÓFIN (DEUS) estava desgostoso com todos os povos da Terra, porque eles o haviam esquecido. Por isso, tirou a chuva do mundo. Com tão prolongada seca, morriam os animais, secavam as plantações e não havia quase água para beber.

Vendo o rumo tão desagradável que tomavam as coisas no planeta, os ORIXÁS, a quem OLÓFIN havia entregado o cuidado do mundo, se reuniram e a proposição de XANGÔ, decidiram enviar YEMANJÁ para que fosse até OLÓFIN e lhe suplicasse o perdão.

YEMANJÁ seguiu o caminho da montanha onde OLÓFIN vivia. Com muita dificuldade, subiu pela encosta estreita e por isso, teve que caminhar por vários dias, mas ao final chegou.

Tinha tanta sede que ao chegar aos jardins de OLÓFIN, não pode resistir mais e se ajoelhou e começou a beber água em um poço pestilento que ali encontrou.

Enquanto isso, OLÓFIN, que havia saído, viu de longe que alguém se atreveu a perturbar sua tranquilidade. Ao aproximar-se para ver quem era o intruso, ficou perplexo ao encontrar com YEMANJÁ que bebia ansiosa a água suja do charco.

Foi tanta a compaixão, que ele disse que se levantasse, que iria perdoar os homens, graças a esse ato dela e que lhes mandaria a água, pouco a pouco, para que não houvesse danos.

Por conta da benevolência e humildade de YEMANJÁ, que mesmo sendo ONI (Soberana), OLÓFIN teve compaixão para com os seres humanos novamente.

Maferefun YEMANJÁ todos os dias! Omi ô YEMANJÁ Ominareó!

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.