OBALUAYÉ – BABALU AYÉ – AZOWANO

00a62b83270c4acecf03f091083f40af

SHAKPATA levava uma vida muito desordenada e não obedecia seus maiores. Por conta disso chegou a ficar bastante enfermo.

Eram tantas as queixas que, os sacerdotes se reuniram e tomaram a decisão de expulsá-lo por sua desobediência. Ninguém lhe ofereceu ajuda para curá-lo, o único que se apegou a ele foi ELEGBÁ, posto que os YORUBÁS entraram num acordo de não mais falar com ele e determinaram fechar-lhe a fala na RELIGIÃO YORUBÁ com cawuris (búzios, merindilogun). Em sua boca coseram todo seu dilogun, para que não pudesse dizer o que sentia. SHAKPATA, ao ver-se depreciado por seu povo, decidiu partir dali. Em seu caminho as pessoas lhe atiravam água e diziam: “Leve o mal”, com essa atitude ele foi humilhado.

A partir desse momento, só se lê os cawuris até EJILA SHEBORÁ (12) para não ter que se recordar dele, já que ele fala em METANLÁ (13).

No caminho, encontrou com ELEGUÁ, quem o levou a casa de ORUNMILÁ. IFÁ disse que a ele deixaram mudo por desobediência, mas que seria grande em outras terras, porém teria que fazer algumas oferendas e sacrifícios com diversos grãos e ter sempre com ele um cachorro que pediu a OGUN e a OSSAIN.

Continuou a viagem até chegar em DAHOMEY, terra ARARÁ (Djedje). Todos naquela terra viviam por sua conta, menos o rei, quem acreditava ser Deus absoluto, matava e fazia o que queria. Mas ao ver SHAKPANA, se ajoelhou pedindo-lhe perdão pelo mal que havia feito. Os nativos, ao verem isso, se uniram a SHAKPANA, onde OLÓFIN (Deus) o consagrou por haver ouvido os conselhos de ORUNMILÁ.

OLÓFIN então mandou uma forte chuva que limpou SHAKPANA de todas suas enfermidades e erros, e onde ele estava parado, a terra se abriu, enterrando todo o mal. Fundou então o seu reino em DAHOMEY, terra ARARÁ (Djedje) e passou a chamar-se AZOWANO. Por isso, ainda que ele provenha da terra YORUBÁ, sua grandeza ele alcança na terra ARARÁ (Djedje) onde se consagrou por determinação de OLÓFIN. Por isso, os ARARÁS o respeitam e entregam seu fundamento fechado e selado, para que ali se acabem todas as enfermidades.

Nota: Por isso, não se deve jogar água em OBALUAYÉ (BABALU AYÉ, AZOWANO), pois isso significa depreciá-lo e, por isso também quando sai no Merindilogun acima do 12 (EJILA SHEBORÁ), deve-se ir até IFÁ para se consultar com ORUNMILÁ.

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.