YEWÁ: A BELEZA DO MUNDO

 

j2nhnw9z

YEWÁ, ORIXÁ das mutações, transformações, da percepção do que é belo e do que é feio, a distinção entre eles. Apaixonada por XANGÔ como OYÁ, porém com sentimento retido, contido.

YEWÁ representa o dom da adivinhação, da intuição, ORIXÁ adivinho. Seus filhos possuem um sexto sentido muito aguçado, aflorado, por conta dos EGUNS, espíritos que os acompanham. Divindade jovem, bela, que encanta no olhar e se diferencia das outras divindades por ter nela o símbolo da beleza.

Representa o encanto e a busca pela tranquilidade e a paz, levando seus filhos(as) a ficarem afastados e reclusos. YEWÁ é um ORIXÁ violento e seus filhos, apesar da fala mansa, olhar doce e lágrimas nos olhos, tendem a ser violentos também, por conta de uma revolta que YEWÁ tem dentro de si.

YEWÁ é a divindade mais linda da religião, representa a vida, o viver com alegria intensamente. Por isso, seus filhos tendem a viver muitos anos devido ao poder que essa divindade tem sobre a morte. YEWÁ é tão forte e poderosa que ela possibilita a permanência de uma pessoa na terra, mesmo que seu tempo tenha acabado, mas que ainda falta algo para essa pessoa concluir. YEWÁ a mantém viva até que cumpra seu destino.

YEWÁ representa tudo aquilo que é puro, virgem, não só a virgindade da mulher, mas tudo aquilo que ainda não foi visto nem tocado pelo homem e ao mesmo tempo determina o fim de tal pureza, de tal virgindade.
YEWÁ representa o ORIXÁ que é difícil de se apaixonar intensamente, devido a um pedido que fez de não olhar aos olhos de nenhum homem. Daí se explica os casamentos duradouros, que vivem ao lado de um único homem, em contrapartida podem levar anos sem casar, por conta da castidade representada por YEWÁ.
YEWÁ representa a dança, fascínio pela dança, pela música, um dos grandes apegos de seus filhos. É o ORIXÁ da vivacidade, do renascimento e ao mesmo tempo arisco, seus filhos podem ter muitos colegas, porém muitas vezes terão poucos amigos, devido ao desejo de YEWÁ de viver só e isolada.
Foi caçadora ao lado de OXÓSSI.
Salvou ORUNMILÁ da morte quando IKÚ o perseguia.
Deu o dom da vidência ao homem.
Casou-se com AZOWANO (BABALU AYÉ), porém permaneceu eternamente apaixonada por XANGÔ.
EKUÁ YEWÁ!
MAFEREFUN YEWÁ Todos os Dias!
Ifá Ni L’Órun
Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.