YEMANJÁ E O PODER DOS CARACÓIS (BÚZIOS)

ocean queen

YEMANJÁ estava casada com ORUNMILÁ, grande adivinho da terra Ilé Ifé, que fazia verdadeiros milagres com um grande número de seguidores. ORUNMILÁ estava intimamente unido ao segredo dos caracóis, pois YEMANJÁ, dona do mar, peixes, caracóis e tudo que é marinho, assim se comunicava e ele, por sua vez, os interpretava através dos ODÚS e PATAKIS de cada um.

Porém um dia ORUNMILÁ teve que fazer uma viagem grande e tediosa para assistir a uma grande reunião de AWÓS que havia sido convocada por OLÓFIN e como demorou mais do que YEMANJÁ imaginava, esta ficou sem dinheiro e então decidiu aplicar toda sua técnica e sabedoria.

A cada pessoa que vinha buscar ORUNMILÁ para consultar-se, ela dizia que não se preocupasse, e como era adivinha de nascimento, suas previsões tiveram um grande êxito e seus ebós salvaram muita gente.

Quando ORUNMILÁ regressou, ouviu dizer que havia uma mulher em seu povo que adivinhava e fazia verdadeiros milagres. Ele, curioso como todo homem, se disfarçou e perguntando pelo lugar, chegou a sua própria casa.

YEMANJÁ, ao ser descoberta, lhe disse: “Tu realmente crês que eu iria morrer de fome?” Ele furioso, a levou diante OLÓFIN e este, sábio entre os sábios, decidiu que ORUNMILÁ registraria as consultas com o EPKUELÉ (Opelé), os IKINS e o ATE de IFÁ (Tabuleiro) e que YEMANJÁ dominaria os caracóis (búzios). Mas advertiu ORUNMILÁ que quando saísse YEMANJÁ em seu ODÚ, todos os BABALAWÓS teriam que render veneração (MOFORIBALÉ), tocar com a testa o tabuleiro e dizer: “Ebó Fi Eboada”.

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.