INLÉ O PODER DA UNIFICAÇÃO ENTRE OS SERES HUMANOS

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na terra AKARAKANIYÉ, que era na beira do rio, havia um OBÁ (rei) que tinha muitos escravos e entre eles havia um que se distinguia dos outros, porque era OLUWÓ OSSAIN e todos os demais escravos o respeitavam e cada um deles, quando se enfermava, o buscavam para que ele os curasse, dado o conhecimento que tinha dos distintos EWÉ (ervas).

Um dia o OBÁ se inteirou do domínio que esse escravo seu tinha sobre as propriedades das ervas e começou a sentir inveja, pois sendo ele o OBÁ, não conhecia nada de ervas e buscou uma forma de desmoralizá-lo.

Esse escravo se chamava ERÚ KAYODÉ e era OMO OSHÚN (filho de OSHÚN) e um dia estava pegando ervas perto de onde morava e se pôs a cantar:

“OMO OSSAIN ENDI EWÉ GBOGBO ORISHÁ EWÉ OYÚ OMA PARIOLÉ”.

Depois caminhou até o rio e quando chegou à margem, viu sua IYÁ (mãe) no meio do rio. Ele se ajoelhou e cantou:

“OLORI MI OSÁ AGBÁ IYERO BOLÉ IYÁ MI IYESÁ MODÉ IRÉ IYÁ MIO IYESÉ ORÓ”.

OSHÚN saiu do rio e pôs suas mãos na cabeça dele e o abençoou dizendo:

“Tens muito conhecimento de OSSAIN que ele e eu temos dado, mas a inveja e a traição te ronda e para que possas vencer, tens que ir ver ORUNMILÁ de minha parte e quando for levar as ervas para ele, leve esta também que é EWÉ EWEDÓ, que ele sabe o segredo que tem que fazer com a mesma”.

ERÚ KAYODÉ terminou de pegar as ervas e foi para a Casa de ORUNMILÁ, quem lhe fez um OSODE (consulta com IFÁ) e lhe disse:

“Tua sorte está do outro lado do rio e lhe dará uma mulher, mas tens uma grande traição em seu caminho e para vencê-la tens que se banhar com EWÉ EWEDÓ que OSHÚN lhe deu e fazer alguns sacrifícios e oferendas”.

ORUNMILÁ fez tudo para ele e depois disse:

0760f12efe89d36c532d981761b7e292

“Tens que voltar a IBÚ LOSÁ (rio) e ali chamar o ORISHÁ INLÉ ABATA que é quem te salvará”.

Quando ERÚ KAYODÉ chegou a margem do rio, começou a tocar o agogô e a cantar:

“O INLÉ ADAMU ORISHÁ ASHÉ LEYÓ INLÉ ASHÉ ASHÉ LEYÓ INKIN YÁ IPORÁ EWAMÍ”.

Entrou no rio e fez algumas oferendas, mergulhou no fundo do deste e cantou:

“EYAORÓ SÁ INLÉ ORÓ DAGUNLÁ OMO INLÉ AYAYÁ O NIKEÓ”.

Veio a superfície e já no meio do rio cantou:

“EYÁ LAGBÁ FIFUN OMO ODO OMO INLÉ EYÁ GANGAN OMO ERO FIBALÉ INLÉ EYÁ LAGBA”.

Quando ele voltou à margem do rio, fez-lhe mais algumas oferendas e sacrifícios e depois voltou para a fazenda do amo, se acostou e dormiu.

Começou a sonhar onde lhe apareceu INLÉ vestido de ASHÓ (pano) FUNFUN e ASHÓ AROLODÓ e lhe deu um SUYERE (canto) para quando estivesse em perigo o chamasse.

No dia seguinte ERÚ KAYODÉ começou suas tarefas e pela tarde, depois de terminar, foi pegar ervas, mas o amo havia mandado seus servos prendê-lo.

Os mesmos o levaram diante do amo e este mandou açoitá-lo e ordenou que o introduzissem em uma caixa e o lançassem no rio para que a corrente o levasse e o afogasse.

O amo fez isso porque não podia aceitar que ninguém soubesse mais que ele. Quando o atiraram ao rio, em um momento de lucidez que teve, o escravo balbuciou o SUYERÉ que INLÉ o havia ensinado:

“EYÁ EYÁ INLÉ EYÁ ERUMALÉ EYÁ INLÉ ERUMALÉ EYÁ AGBÁ ORISHÁ GBOGBO NI YERÓ UNLÉ ORUMALÉ”.

4819b661cca682afb475d9dc055aa665

Então os peixes do rio, que eram GUABINAS, começaram a se reunir e arrastaram a caixa até a beira do rio, que era a terra IYESÁ MODÓ, onde o OBÁ (rei) dali havia morrido e quando consultaram IFÁ este disse:

“A sorte e o novo OBÁ virá pelo rio”.

Quando eles viram chegar a caixa, muito assombrados o tiraram da água, abriram a caixa e viram em seu interior um homem quase moribundo com muitos EWÉS (ervas) e muito EWÉ EWEDÓ.

Eles o curaram, o renderam MOFORIBALÉ (reverências) e o fizeram OBÁ daquela terra IYESÁ MODÓ e todos se banharam com EWÉ EWEDÓ.

Quando o OBÁ da terra AKARAKANIYÉ se inteirou que ele havia sido seu escravo e havia se salvado e que era o OBÁ daquela terra de IYESÁ MODÓ, não quis acreditar nisso e cruzou o rio até chegar a outra terra.

Ao ver que era verdade, de desgosto, OTOKÚ (faleceu).

Então todas as pessoas da terra AKARAKANIYÉ foram à terra IYESÁ MODÓ e renderam MOFORIBALÉ a ERÚ KAYODÉ que era o nome pelo qual eles o conheciam e o nomearam também OBÁ de suas terras.

Assim se uniram as duas terras, IYESÁ MODÓ, terra de OSHÚN e a terra AKARAKANIYÉ, terra de INLÉ, e ERÚ KAYODÉ as governou por virtude de ORUNMILÁ e poder de OSSAIN, OSHÚN e INLÉ ABATA.

 

Maferefun ORUNMILÁ

Maferefun OSHÚN

Maferefun INLÉ ABATA

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.