O COLHEDOR DE ERVAS DE OSSAIN

Jean-Francois-Millet-Buckwheat-Harvest-Summer-1728x800_c

O COLHEDOR DE ERVAS, ainda que tenha uma importância suprema em nossa religião, hoje em dia tem sido menos apreciado. Seu ofício basicamente é conhecer as ervas de ORISHÁS. Sua característica é de conhecer com propriedade quais são as ervas principais e quais são as ervas secundárias.

Todo COLHEDOR DE ERVAS deve levar um “direito” a OSSAIN, dono das ervas e das vegetações, da sustentação da vida no planeta.

Sendo assim não nos custa nada levar seu tributo que pode ser alguns ADIMUS (oferendas). O COLHEDOR DE ERVAS é absolutamente necessário, antes de qualquer cerimônia de OSSAIN em OSHA, IFÁ, PALO MAYOMBE e até mesmo no CANDOMBLÉ afro-brasileiro.

O PATAKI a seguir sustenta tal afirmação:

Havia um colhedor de algodão que estava passando muitas dificuldades, pois ninguém comprava seus produtos.

Um dia um amigo dele o aconselhou que fosse ver ORUNMILÁ, repetindo o mesmo conselho a esposa dele, pois como era muito teimoso, não daria importância.

Até que um dia, vendo como estava o campo destruído, decidiu ir se consultar com ORUNMILÁ. Este lhe deu alguns conselhos dos quais não deu importância de novo e continuou então passando dificuldades.

ORUNMILÁ advertiu que o homem ficaria até sem ter o que comer. Então este decidiu fazer o que ORUNMILÁ estava recomendando, que eram algumas oferendas e sacrifícios a OSHÚN e ELEGUÁ.

Hierbas-en-ate

Onde este homem vivia só havia campos de algodão sem caminho algum, mas ELEGUÁ, transitando por ali, abriu uma trilha, criando uma casualidade que em seu caminho passava alguns médicos curandeiros que andavam a cavalo. Ao verem os campos de algodão, ficaram admirados e seguindo a trilha aberta por ELEGUÁ, chegaram onde o homem estava e um dos médicos ao descer do cavalo se feriu e começou a sangrar muito, o qual não estancou.

Outro médico curandeiro pegou uma flor de algodão e ver que este era esponjosa e branca como o coco, atinou a limpar o sangue da ferida, observando assim como a flor do algodão absorvia o sangue e ao mesmo tempo estancava.

Todos de comum acordo compreenderam sua utilidade, assim como seus derivados. Foram então ver o colhedor de ervas e fizeram negócios com ele e este pode viver bem graças a OSHÚN, ELEGUÁ, por orientação de ORUNMILÁ e IFÁ.

Maferefun ORUNMILÁ todos os dias!

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.