DADÁ IBANIN: A COROA DE XANGÔ

Também conhecida como OBAÑEÑE ou DADÁ BALDONE. É o ORIXÁ dos recém-nascidos. Também é considerada o ORIXÁ dos vegetais. Quando foi destinado a OBATALÁ povoar o mundo, este entregou a DADÁ a criação dos reinos (vegetal, mineral e animal). Foi quem criou XANGÔ. Não é um ORIXÁ que incorpora, por isso não se consagra em ninguém. Normalmente é representada por uma abóbora forrada de caracóis (búzios). Seus fios de conta são duas miçangas vermelhas e duas brancas, sucessivamente.

Em algumas casas religiosas, seu receptáculo é uma cabaça do tamanho da cabeça de quem a recebe, forrada de caracóis (búzios), ouro, prata e 9 penas de akodidé, e se coloca em cima de XANGÔ.

Quando é entregue por BABALAWÓS, é uma metade de cabaça coberta de tecido que é bordada com búzios em forma de espiral e pela qual pendem 15 tiras vermelhas a que se colocam búzios de 1 até 16 mejis de IFÁ e se coloca sobre o pilão que guarda o segredo de DADÁ. Representa o tesouro e é a coroa.

Em IFÁ se manifesta em diversos ODÚS como por exemplo, OTURA NIKO, porém tem sua maior manifestação em IRETE UNTELU seu ODÚ ISALAYÉ (Representação espiritual da existência como Deidade para os seres humanos).

DADÁ EM MERINDILOGUN

Fala pelo MERINDILOGUN em OGUNDA OSÁ (3-9) e EJILA SHEBORÁ (12).

É um ORIXÁ a ser adorado e cujos filhos são de personalidade forte, mas intimamente bondosos e sacrificados. DADÁ significa: COROA. A mesma se coloca no iniciado ao consagrar ORIXÁ.

Na consagração desse ORIXÁ se faz XANGÔ e o iniciado somente recebe DADÁ, pois XANGÔ e DADÁ são OKANANI (tem a mesma essência), tem a mesma vibração espiritual, um mesmo coração.

É Deidade dos vegetais. A função de DADÁ é manter a coroa sobre a cabeça dos iniciados, enquanto estão na terra, sendo a encarregada de cuidar deles e protegê-los para que não se percam. É conhecida por protetora das crianças.

Celebra-se no dia 31 de agosto.

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.