IFÁ NO MUNDO

A palavra IFÁ é intransferível, se refere ao corpus YORUBÁ de conhecimento ritual e filosófico, tão bem como ao sistema divinatório.

IFÁ também é um dos nomes de elogio do ORIXÁ da Sabedoria e da Divinação ORUNMILÁ.

IFÁ não é uma religião. “É muito mais” e realmente o é. A Tradição OSHA/IFÁ mantém a real estrutura da sociedade tradicional YORUBÁ. Tem um vasto corpo de conhecimento de ervas medicinais.

Sua tradição oral mantém a história do povo YORUBÁ. Sua tradição poética e musical, até os dias de hoje, tem uma influência fundamental na música e na literatura contemporânea no Ocidente.

O Oráculo de IFÁ, constituído em seu CORPUS por vivências de cada um dos 256 ODÚS de IFÁ, é a mais segura e completa forma de divinação conhecida até os dias de hoje (DADOS DA UNESCO). O mesmo, conta com as histórias “PATAKIS” em parábolas, metáforas, as quais obtidas com ORUNMILÁ através de um BABALAWÓ e analisadas e explicadas pelo mesmo, serão os protagonistas de cada divinação, nas quais se conhecem as origens e soluções de cada um dos problemas de cada pessoa que se consulta, incluindo tudo aquilo que acontece em nossas vidas e em que forma/parte do destino está, já que uma vez tivemos a oportunidade de escolher diante OLÓFIN.

Pela Ciência de IFÁ, o BABALAWÓ poderá estabelecer uma comunicação direta com o grande poder do profeta ORUNMILÁ através do amplo Universo de Sabedoria que o caracteriza. Esta forma de divinação se realiza de duas formas distintas, uma delas é através dos IKINS, os quais quase sempre estão reservados para a divinação na realização de consagrações. A outra forma é o EPKUELÉ ou OPELÉ IFÁ, que se atira sobre uma esteira e este emitirá ao BABALAWÓ o ODÚ de IFÁ (signo), pelo qual ORUNMILÁ está estabelecendo uma divinação naquele momento.

A tirada sobre a esteira do EPKUELÉ (OPELÉ) é a forma em que os BABALAWÓS realizam o processo da divinação, já que ao fazer com os IKINS se trata de um processo muito mais demorado e que geralmente requer a presença de outros BABALAWÓS, que a medida em que vão saindo os distintos ODÚS, são anotados, servindo assim também como testemunhos do tal ato da divinação, que repito, é muito mais utilizado nas distintas consagrações, dentre elas a iniciação em IFÁ (MÃO DE ORUNMILÁ).

ORUNMILÁ é na religião de IFÁ o Poder da Divinação e o mais Alto Grau de Sabedoria, conhecida em todo o mundo como RELIGIÃO YORUBÁ AFRO-CUBANA ou ainda como OSHA/IFÁ.

De fato, ORUNMILÁ é ELERI-IPIN, ou seja, o grande testemunho e parte fundamental da criação.

A chegada dos escravos africanos à AMÉRICA, trouxe ao novo continente nossa religião de IFÁ, a qual, com a sabedoria legendária dos ODÚS de IFÁ, era trazida verbalmente por aqueles, já ancestrais BABALAWÓS (africanos trazidos como escravos) em suas mentes. Alguns escreveram esses conhecimentos passados pelos velhos sacerdotes africanos (BABALAWÓS), originando o Tratado Enciclopédico de IFÁ, o primeiro de muitos tratados escritos posteriormente. Ainda assim, um BABALAWÓ aprende, estuda e interpreta de acordo com seus conhecimentos de forma oral, preservando assim a tradição da oralidade.

A chegada inicial desde a ÁFRICA de todos os escravos africanos, aproximadamente em 1501, se realizou através de CUBA, se propagando naturalmente por toda a AMERILA LATINA até os dias de hoje.

Em um momento posterior, com a chegada de IFÁ se produziu, a partir de serem consagrados em CUBA como BABALAWÓS, a maioria dos mais velhos OLUWÓS atualmente nesses países irmãos.

Não podemos deixar de dizer que CUBA teve o papel de protagonista no processo histórico-religioso relativo a nossa religião naquele época de nascimento da Cultura de IFÁ na AMÉRICA LATINA, proporcionando assim a propagação da Tradição de IFÁ para todo o mundo.

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.