NANÁ BURUKU MÃE DAS ÁGUAS DOCES

Esse ORIXÁ pertence a família de ODUDUWÁ e OLOKUN. NANÁ vive embaixo da água e da mesma forma na terra, mas é conhecida como Mãe D’água, rios, nascentes, represas, poços, enfim, Mãe da água doce.

Sabe-se que NANÁ BURUKU é mãe de YALODÉ (OXUM), porque ela é a mãe de todas as águas doces.

OXUM é a dona dos rios, mas não a mãe, pois quem é a mãe é NANÁ.

É um ORIXÁ com conhecimentos restritos em algumas regiões de MATANZAS e do norte das VILAS em CUBA, onde foram assentadas populações negras que adoravam esse ORIXÁ. É sabido que esse ORIXÁ é de terra YORUBÁ, mas que depois do pleito com seu filho OGUN na terra IJESÁ, partiu para EBOMEY. Depois viajou à terra MIMA ASHANTI e MINA POPO na região ADELE, o que é atualmente o país TOGO. A palavra NANÁ é de origem MINA e se usava como resposta as pessoas de idade.

Este ORIXÁ é feminino e vive nas águas doces e além de OXUM (YALODÉ) é mãe também de OGUN, a que criou OGUN.

Veste-se de branco e entre os de origem MINA POPO é um ORIXÁ totalmente independente e tem o seu próprio brilho.

NANÁ BURUKU é um ORIXÁ muito poderoso. Ela é um ORIXÁ de muito respeito e muito segredos. É consagrada na cabeça de seus OMO ORIXÁS e estes são chamados de OLI BURUKU.

Em CUBA este ORIXÁ é muito comum na província de MATANZAS, ainda que devemos dizer que já tenhamos poucos OLORIXÁS que tenham o conhecimento para realizar seus ritos tão complicados.

Este ORIXÁ leva muitos segredos, além daqueles que tenham que recebê-la por determinação de ITÁ, um IWORO (religioso) que tenha o ODÚ METANLA (13) ou OFUN METANLA (10-13), tem que recebê-la como seu fosse filho dessa ORIXÁ.

Além desses ODÚS, também fala em OFUN MEJI (10-10), OFUN MERINLA (10-14), MERINLA MEJI (14-14), OKANA FUN (1-10) e OKANA MERINLA (1-14).

NANÁ é conhecida por sua criatividade e poder. Aborreceu-se com OGUN, já que esse não a respeitou. OGUN não quis agradecê-la pela educação e criação e o bem-estar que ela lhe proporcionou, pelo contrário, abusou dela.

Para independer-se dos favores de OGUN, os seus sacrifícios são feitos com facas de cana brava (bambu). Através de seus mistérios, os YORUBÁS perceberam que ela se tratava de um ORIXÁ tão antigo como o tempo e que veio de terra ARARÁ (DAHOMEY) juntamente com as cerimônias de AZOWANO (seu esposo).

NANÁ – nascimento

BURUKU – a Lua

A que ilumina a terra nas noites e faz que esta seja menos sombria e tenebrosa para os seres humanos. Através desse astro, ela dá à luz a seus filhos para que nunca percam a luz da vida que ela traz através da lua, onde se manifesta. Seu trono é de cor branca com tecidos brocados e prateados com algum detalhe em azul claro, cortina de mariwó em cima e também se colocam pequenos lenços nas cores de OBATALÁ, OXUM, YEMANJÁ e XANGÔ.

O nascimento desse ORIXÁ é em um manancial ou rio natural, arroio ou lagoa. Na mata, leva-se uma cesta com legumes picados de todos os tipos, peixe, milho, dendê, mel, aguardente, melado de cana e um tecido branco e outro azul. Faz-se as oferendas e sacrifícios e depois se deixa tudo enterrado.

Seu trono deverá ser de ceiba sagrada (arabá). O Babalorixá, o Yawó e o Ojugbona deverão se banhar com omieró (banho de ervas) de alfavaca e losna branca durante 8 (oito) dias.

 

CAMINHOS DE NANÁ

NÀNÁ BURUKÚ AJESÚN – A que trabalha com a magia.

NÀNÁ BURUKÚ ILÈGBONÁ – Era cultuada na região de IFÉ.

NÀNÁ BURUKÚ ADJAOSÍ – Se veste com retalhos de tecidos e vive perto dos pântanos.

NÀNÁ MAHI – Protetora dos MAHI, vive nas montanhas e lugares elevados. Seu assentamento se faz em um morrinho de terra.

NÀNÁ YABA – Rainha Mãe, muito respeitada pelos ANAGÓ. Porta um cajado, símbolo de sua autoridade. Seus passos são lentos e dificultosos, se cobre com um manto.

NÀNÁ BURUKU MOLU – A que vive em uma lagoa. Seu símbolo é o IBÍRÌ.

NÀNÁ BURUKÚ ALAGBA / NÀNÁ BURUKÚ NAREWÁ / NÀNÁ BURUKÚ NAKELÉ / NÀNÁ BURUKÚ SUARÉ / NÀNÁ BURUKÚ AJAPA / NÀNÁ BURUKÚ OGBAYA / NÀNÁ BURUKÉ / NÀNÁ BULUKÚ / NÀNÁ BRUKUNG / NÀNÁ DELÉ / NÀNÁ MIREMI / NÀNÁ BÙKÙÚ / NÀNÁ NUNSELÉ / NÀNÁ INIÉ / NÀNÁ BINI / NÀNÁ BURUKÚ ATSOKO / NÀNÁ KPAHAN / NÀNÁ HONDO / NÀNÁ SELI / NÀNÁ INTILÉ.

Seus ELEKES (fios de conta) podem ser rosa com negro, rosa com branco e negro, rosa, azul, branco e negro, azul e rosa, vermelho e branco.

Em IFÁ, o ODÚ ISALAYÉ (odú que veio a Terra, que veio ao mundo) é OYEKUN IWORI.

 

Maferefun NANÁ BURUKÚ!

 

Ifá Ni L’Órun

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.