XANGÔ REI DOS REIS

img_20160430_044419130

Dono dos raios, do fogo, da guerra, dos ILÚS BATAS (tambores sagrados) da música, da dança, da bravura viril, representado por um machado de dois lados. Sua cor é o vermelho e branco intercalados.
XANGÔ representa o maior número de virtudes e imperfeições humanas: Bom amigo, bom pai, trabalhador, valente, adivinho, generoso, justiceiro, bom amante, curandeiro. Concentra-se em XANGÔ todas as grandes virtudes de um homem, mas também: Mulherengo, violento, brigão, tempestuoso, articulador, autoritário, ambicioso, farrista. XANGÔ FILHO DIRETO DE OLÓFIN (DEUS), REI DOS REIS. XANGÔ talvez seja o mais popular entre os ORIXÁS. Governa os relâmpagos, os trovões, o fogo e a dança. XANGÔ é um ORIXÁ guerreiro, de inteligência aguda, seu temperamento é irascível, é a própria personificação da virilidade. XANGÔ se tornou o quarto ALAFIN de OYÓ na Terra durante um tempo. Sua esposa legítima é ÓBBA, mantendo relações amorosas com OYÁ, OXUM e YEWÁ, todas apaixonadas pelo grande Rei. XANGÔ é um ORIXÁ extremamente fogoso, diz um pataki que chegou a existir 200 mulheres para o rei do trovão e ele satisfazia a todas.

XANGÔ é de força e vontade forte e intensa, que ama todos os prazeres da vida, como as festas, o toque dos tambores, as mulheres, os cantos e a comida. Ele é OKANANI com ELEGBA (ELEGUÁ, EXÚ), ou seja, do mesmo coração, sendo eles grandes amigos. Quando contemplamos a rapidez que um raio cai em uma árvore, ou como um fogo que se alastra nos bosques, presenciamos o temperamento de XANGÔ em ação. Mesmo entregando o tabuleiro de IFÁ para ORUNMILÁ em troca da vida, da alegria e da faculdade da dança, seus filhos possuem uma habilidade inata para adivinhação. Em reconhecimento a grandeza desse rei, todos na religião devem tocar a mão ao solo ao mencionar seu nome em sinal de respeito.

XANGÔ simboliza a energia, a criatividade, as articulações, as especulações, o orgulho, a vaidade, a realeza, as alegrias, as festas, a fama, a realeza, a masculinidade, a elevação, a glória, o poder, o dinheiro, o crescimento material, a justiça. XANGÔ é líder dos ORIXÁS guerreiros. Quem o criou foi DADÁ. Representa a beleza varonil. XANGÔ é bom pai com seus filhos enquanto os mesmos sejam obedientes. XANGÔ não admite que seus filhos sejam covardes e injustos. As amantes de XANGÔ são inumeráveis, sendo suas mulheres próprias e reconhecidas por ele: ÓBBA, OXUM e OYÁ. ÓBBA vindo como sua legítima esposa, tendo esta por XANGÔ um amor delirante, onde foi capaz de se mutilar por paixão ao monarca.

XANGÔ recebeu de OLÓFIN (Deus) o mando do mundo, o segredo da vida, tornando-se sua majestade diante do mundo, enviado para governar a Terra. Todos os ORIXÁS respeitam XANGÔ  tendo eles uma ligação estreita com o mesmo, por ser XANGÔ o ORIXÁ que representa OLÓFIN na Terra, motivo pelo qual todos devem contar com ele na religião e no mundo, para que tudo que for feito na Terra seja aceito por OLODUNMARÉ. Disse que nada no mundo é aceito e abençoado por OLODUNMARÉ (Deus) se XANGÔ não estiver presente. As escritas YORUBÁS expressam que XANGÔ é um louco que abre todos os caminhos fechados e destrói todos os obstáculos.

XANGÔ não acredita na morte, não crê no impossível, se tornando um ORIXÁ extremamente adorado no mundo inteiro, dado o poder de resolução que XANGÔ exerce no mundo. ORIXÁ que representa a evolução da vida, da ascensão material, das riquezas e do dinheiro. XANGÔ é irmão de coração de AZOWANO (OBALUAYÉ). XANGÔ come primeiro quando se coroa este ORIXÁ. Ajudou a OBALUAYÉ a curar suas pestes. Seu padrinho é OSSAIN, quem lhe ensinou a magia. O nome XANGÔ significa: furioso, tempestivo. XANGÔ é o ORIXÁ mais venerado no mundo inteiro dentro da religião. É um ORIXÁ temido entre os YORUBÁS,  pois repudia os covardes, odeia as injustiças, os preguiçosos, a falsidade, o roubo e qualquer agressão a vida. XANGÔ é um ORIXÁ de uma só palavra, reto e justo em suas determinações e sentenças, implacável com as ofensas. XANGÔ é um selvagem defensor de seus filhos e seguidores. XANGÔ proporciona a riqueza, o desenvolvimento material e o poder a seus filhos na Terra, mas não aceita nenhum ato de desonestidade, sob pena de castigá-los duramente. Os YORUBÁS o veem como um santo mulherengo, irritado, endinheirado, valente, divertido, adivinho, experto, que sobressai em tudo que faz e se propõe. XANGÔ é o guerreiro mais bravo da religião. XANGÔ veio ao mundo e repartiu entre os seres humanos a vontade de viver, a obstinação, a alegria, as festas, a esperança.

bbf87006-14b2-4e9c-85cc-dc3d90f952a8

Dizem os YORUBÁS que se XANGÔ não existisse no mundo, este seria totalmente triste e sem alegrias. XANGÔ deu a consciência a todos na Terra de como viver intensamente, aproveitando cada segundo da vida. Cada toque de um tambor, cada tom de uma música, cada batuque, seja do que for, ali está a essência deste grande ORIXÁ.  E por este motivo não aceita A MORTE; não que tenha medo e sim porque represente a própria VIDA, o apego pela mesma. XANGÔ travou grandes batalhas contra OGUN que perdurou por tempos pela posse de OYÁ,  mesmo sendo eles grandes guerreiros, de forças brutais e inesgotáveis, XANGÔ saiu vencedor por ser representante da inteligência no mundo, mostrando que em alguns momentos a inteligência deve sobrepor à força bruta. Mesmo assim é bom esclarecer que XANGÔ e OGUN são ORIXÁS que estão ligados espiritualmente, já que os YORUBÁS/ LUKUMIS entendem que a defesa dos filhos de XANGÔ é OGUN e vice e versa.

Conta um pataki que: XANGÔ seduz a bela YEWÁ desvirginando-a, sendo esta esposa de OLÓFIN  e por conta de tal acontecimento YEWÁ se transfere ao mundo dos espíritos se tornando a direcionadora dos EGUNS (Espíritos). XANGÔ foi castigado por OLÓFIN  e por conta de tal acontecimento se dividiu as mãos de IFÁ.  XANGÔ foi enviado ao mundo por OLODUNMARÉ  para transmitir aos homens a alegria e a felicidade. XANGÔ é o dono de todas as madeiras do mundo. Os filhos de XANGÔ recebem o título de ONI por serem SOBERANOS na religião.

Características dos filhos de XANGÔ:  Os filhos de XANGÔ são voluntariosos, energéticos, altivos, dotados de uma clara e aguda inteligência, conscientes de seu valor, são dados a impulsividade e a cólera. São mulherengos, não se saciam com uma só mulher, não toleram a falsidade nem o engano, são agressivos diante das ofensas. Não obstante, os filhos de XANGÔ são sumamente ciumentos, protetores e generosos com todos que compõem sua família, fazendo com que todos a sua volta desfrutem de sua inesgotável força. Quando um filho de XANGÔ emite sua opinião é para encerrar definitivamente o assunto.

Sua postura é sempre nobre, chamam a atenção por onde passam, digno de um rei. São dotados de uma alta estima surpreendente, onde saem vitoriosos de tudo que se propõem na vida. Os filhos de XANGÔ estão sempre rodeados de muitas pessoas dado o poder de liderança que eles exercem diante da vida, são requisitados e queridos por muitos, onde nunca estão sós. Não choram diante de uma adversidade, são de sustentar uma guerra até saírem vitoriosos, nunca ateiam uma bandeira de paz e jamais desistem de uma batalha. Graças a seu astral, os filhos de XANGÔ chegam a ser respeitados por todos e temido por seus inimigos. São amantes vigorosos e de um desejo sexual intenso, onde não se satisfazem com uma só mulher. Um filho de XANGÔ está sempre cercado de muitas mulheres, sejam suas amantes, sejam suas auxiliares, no caso de governantes, empresários, e religiosos.

Oluwó Evandro Otura Airá Ifá Ni L’Órun Omo Oni Shangó

Gostou? Que bom, compartilhe com seus amigos.